A minha mãe

Hoje me deu uma saudade imensa da minha mãe. Acho que foi porque eu passei um tempo olhando o calendário para tentar programar as minhas férias e tive que anotar uma gravação de um projeto de EaD no dia 12 de setembro. E 12 de setembro é o dia do aniversário dela. E me deu um nó na garganta e uma dorzinha no peito. Esse ano vai completar 9 anos que ela se foi. E parece que foi ontem. E eu ainda choro às vezes. E eu ainda não consigo entender por que as coisas têm que ser assim.

A minha mãe era uma pessoa muito especial, boa gente, consciente do seu papel no mundo. Ela criou uma família autêntica, teve 3 filhas que ela encaminhou muito bem na vida e mais uma porção de filhos postiços que ficaram órfãos dela nesse mundo. Não, ela não era perfeita. Já faz tempo que eu aprendi que os pais “são crianças assim como nós”. Eles também erram, eles exageram, eles metem os pés pelas mãos. Mas eles fazem tudo querendo acertar e querendo cuidar daqueles que amam. Eu queria tanto que o filho que eu um dia vou ter tivesse minha mãe por perto. Ela foi a avó mais legal do mundo. Que bom que os meus sobrinhos mais velhos tiveram a oportunidade de curtir a minha mãe.

Quase 9 anos se passaram e ainda é sofrido pensar em todas as coisas que eu vivi sem que ela estivesse ao meu lado. Pelo menos fisicamente. Mãe, o amor que eu tenho por você é seu.

Anúncios

Marcado:

4 pensamentos sobre “A minha mãe

  1. Dalila 19 de agosto de 2011 às 12:06 AM Reply

    Ahhh Lene, como aqueles que amamos deixam saudades quando partem!
    Puxa, podem passar anos e anos, sempre nos lembramos e ficamos tristes. Não entendo a morte, não consigo…
    Deveríamos entender e aceitar, eu sei, mas é difícil demais…
    Bjs

    • Lene 19 de agosto de 2011 às 10:19 AM Reply

      É, Dalila, é difícil. Mas o que mais me dói é pensar que é a lei natural da vida e que teremos que enfrentar isso outras vezes com outras pessoas queridas. E teremos que nos preparar pra isso. Que dureza!

  2. Bibi 19 de agosto de 2011 às 9:38 AM Reply

    E como o tempo passa rápido e parece que foi ontem! Minha avó também, faleceu há 12 anos já e parecia que ontem mesmo sentávamos com ela na área e ouvíamos suas histórias e cantorias. Tá bom lembrar de coisas boas! é isso que temos que ter na lembrança: as coisas boas e alegres!
    Beijos!

    • Lene 19 de agosto de 2011 às 10:20 AM Reply

      É verdade, Bibi! Temos que nos apegar às coisas boas que vivemos com essas pessoas queridas e que não estão mais presentes. Sentir saudade não é só uma coisa ruim, não é mesmo?

Comenta aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: