Arquivo da tag: reforma

A nova velha cômoda

E aí que eu tenho uma cômoda que me é muito útil  mas que não “ornava” com a nova cara do meu quarto. Pesquisei muito, fucei bastante na internet e achei uma alternativa simples, fácil e barata de reformar o meu móvel já velhinho e sem graça: revesti-lo de tecido!

Gente, mamão com açúcar revestir um móvel com tecido! E no final você ganha um móvel novinho sem gastar muito! Até eu que costumo dizer que tenho duas mãos esquerdas consegui fazer sem me descabelar. Você vai precisar, logicamente, de tecido da sua preferência, cola branca, água e um rolinho de espuma. Primeira coisa a se fazer é medir as partes que serão cobertas e cortar o tecido deixando um pouquinho de sobra nas beiradas. Por exemplo, se a área a ser coberta tem 1m x 0,7m, corte o tecido com 1,10m x 0,8m ou coisa do gênero. Nas dicas que eu li na internet todo mundo dizia para limpar bem a superfície antes de começar para tirar vestígios de pó ou sujeira.

Coloque numa vasilha uma quantidade razoável de cola branca e dilua mais ou menos 10% dessa quantidade em água  Eu confesso que fiz no “olhômetro” mesmo, não fiquei calculando certinho, só tomei cuidado para não ficar aguado demais. Molhe o rolinho de espuma, passe sobre a superfície do móvel  cubra com o tecido e vá alisando com a mão mesmo (ou espátula) para tirar as bolhas de ar. Depois que estiver bem esticadinho, corte as sobras da melhor maneira possível com uma tesoura ou estilete bem afiado (cuidado!!!) e passe mais uma mão de cola diluída direto no tecido. Vai ficar pegajoso e branco, mas não se assuste, pois depois que secar ela desaparece.

É preciso passar cola por cima do tecido para impermeabilizá-lo e também para dar maior aderência. Eu vi alguns relatos de que é normal aparecerem bolhas depois que o tecido seca. No meu caso isso não aconteceu. Acho que o meu móvel estava bem regular, sem buracos ou grandes imperfeições e por isso o tecido aderiu bem certinho. Se surgirem bolhas, tem que passar mais uma mão de cola diluída e ir alisando as bolhas até que elas desapareçam.

Se o móvel tiver puxadores, recomendo tirar todos os puxadores primeiro e depois re-instalar todos. No meu caso eu troquei os puxadores por novos. Vejam as fotinhas do antes, durante e depois.

O antes...

O antes…

O durante...

O durante…

O depois!

O depois!

O quarto novo

Pessoas queridas, eu disse que publicaria fotos das mudancinhas que fiz em casa e aqui estão elas. Espero que gostem.

Primeiro de tudo, pintamos as paredes. No local onde o guarda-roupas foi instalado, pintamos a parede de cinza escuro, pois no projeto que eu concebi ela fica à mostra e a cor escura impede que riscos e manchas causados por calçados, malas, etc apareçam. Depois da pintura, trocamos o piso que antes era mais escuro por esse laminado mais claro.

Parede e piso novos

Parede e piso novos

Jogita curtindo o novo piso

Jogita curtindo o novo piso

Agora imagens do trabalho magnífico do marceneiro Wilson Ricetto, indicado pela minha amiga Vivian e que eu recomendo para qualquer pessoa nesse mundo.

Guarda-roupas instalado, portas de correr fechadas, não reparem no resto, please…

Visto por dentro, o cabideiro e as prateleiras para os sapatos

2012-12-15 08.10.53

Aqui meus sapatinhos arrumados… Que deli!

O acabamento ficou ótimo, ele captou exatamente o que eu queria e fez ainda melhor por um preço digno e honesto. Porém, como as paredes voltaram a ser brancas e o guarda-roupas é todo branco, ao entrar no quarto ficamos com a sensação de que a parede tinha encolhido e era sempre um choque. Para dar uma quebrada nisso, optamos por colar um adesivo decorativo numa das portas de correr.

A cama em seu devido lugar e o adesivo tambem!

A cama em seu devido lugar e o adesivo tambem!

2012-12-18 19.00.36

Visto por um outro ângulo

Quando essa foto foi tirada eu ainda não tinha comprado as duas mesinhas de cabeceira redondas na cor preta. Então imaginem que elas existem e estão uma de cada lado da cama. Por falar em cabeceira, eu ainda não decidi o que fazer, estou tentada a comprar um tecido bacana e forrar a parede somente na largura da cama. Achei essa dica numa revista de decoração e gostei da ideia.

Eu tinha, a princípio, decidido instalar um varão e colocar futons pendurados, era uma maneira de fazer um encosto fofinho e proteger a parede que já esta ficando suja de nos encostarmos nela para ler ou ver TV. Mas ao instalar o suporte da TV, percebi que as paredes aqui em casa são uma chatice para fazer furos, elas desmancham, o furo vira um rombo, o acabamento fica horroroso. Desisti! Porém, ainda não achei o tecido ideal…

O guarda-roupas fica do lado direito da cama, o lado que o marido dorme, e para encerrar o post, uma foto do lado esquerdo da cama.

A cômoda que ja esta sendo repaginada

A cômoda que ja esta sendo repaginada

Notem que aparece uma imagem “fantasma” nessa foto. Nada mais que os meus gatos brincando em cima da cama… A cortina foi feita de tecido black out na cor branca, um achado!! O quadro eh do artista Luciano Martins e eu ganhei numa empresa em que eu trabalhei há muito tempo, quando eu nem tinha gatos de verdade em casa. Atualmente esse artista ilustra as embalagens da Cacau Show, quem quiser saber mais sobre o trabalho dele, clica aqui.

Resolvi manter essa cômoda, pois ela tem sido bastante útil, mas estou renovando seu visual. Como a decoração do quarto ficou toda em preto e branco, comprei um tecido estampado em preto e branco e estou revestindo o móvel inteirinho. Ainda não terminei, portanto logo vem um post sobre isso.

Espero que tenham gostado!!

Noticias da reforma

Ontem foi o dia D da minha reformitcha e não é que eu sobrevivi! Mas vamos por partes, pois o bicho pegou na minha residência, minha gente! Primeiro eu agendei a colocação do piso novo cor Carvalho Montreal (pheeeeno) para sexta-feira. Combinei com minha chefe que trabalharia de casa enquanto acompanhava a instalação e só pra variar um pouquinho, deu tudo errado. Os caras atrasaram, o carro da entrega quebrou e eu passei a manhã tendo chilique com a dona da loja pelo telefone. Houve um momento em que eu quis chorar, mas mantive a compostura. Às 4 da tarde os colocadores começaram o serviço e em 2 horas terminaram o meu quarto. Não continuaram porque o meu condomínio não permite que sejam feitos serviços desse tipo depois das 18h. Suspiro.

Pausa para falar sobre a criatura dona dessa loja-dos-infernos onde eu comprei o piso. Quando liguei para saber o porquê do atraso, a mulher me atendeu aos berros, não me deixava completar uma única frase e só faltou me dizer que a errada era eu! Logo teremos cenas dos próximos capítulos, pois eu e o marido não deixaremos isso barato.

Concluindo, o piso que deveria ter sido colocado na 6a feira, pois no sábado o marceneiro viria colocar o meu guarda-roupas, teve que ser feito em duas partes. E isso que eu ainda não mencionei que todas as minhas roupas, lençóis, toalhas, creminhos, sapatos e demais pertences amados estavam encaixotados, enrolados, muquifados na sala. No sábado de manhã recebo os colocadores do piso e explico que eles teriam que ser pacientes, pois o marceneiro ia chegar em seguida e precisava de espaço no meu quarto para montar o guarda-roupas. Mas acho que pedi demais, pois o senhorzinho teve um piti comigo, começou a falar mais alto dizendo que não ia dar pra eles trabalharem, pois não tinha espaço em lugar nenhum e que eles iam voltar só na 2a feira. Aí eu não aguentei… Me escondi na cozinha e chorei enquanto o marido dava uma chamada no velho e o colocava em seu devido lugar.

Recebi o marceneiro com os olhos vermelhos e a cara inchada e marido foi trabalhar me deixando na jaula dos leões (sim, era a minha casa…). Se eu me arrependi? Umas 1.200 vezes só no período das 9h as 12h. Mas o abençoado Wilson, indicação da minha amiga Vivian, santo e adorado marceneiro me surpreendeu e muito positivamente com o guarda-roupas e fez tudo valer a pena! Tinha que ver minha cara de alegria, quase saí dançando pela casa! Postarei fotas depois.

E o inferno com os colocadores do piso continuou até as 3 da tarde. Quando os FDP saíram porta afora, dei uma banana para eles e me joguei na cama aliviada. Hora de botar ordem nessa zona e estrear o meu mais novo móvel feito sob medida, lindo lindo!

Ainda faltam alguns ajustes na decoração, as cortinas, criado-mudo e uma bela de uma faxina, mas estou muito feliz com o resultado até o momento. Aguardem as fotas!!!

Aos trancos e barrancos

As mudanças lá em casa estão seguindo seu rumo. Até o momento nenhum grande imprevisto aconteceu e o cronograma que eu montei está sendo seguido. Terminamos a pintura do apê essa semana, na próxima 6a feira será instalado o piso novo de madeira na cor Carvalho Montreal (que pheeno) e, se tudo der certo, o marceneiro instala o guarda-roupas no sábado, dia 08. Há indícios de que ele atrase uma semana e daí consigo terminar tudo no dia 15. Um atrasinho de uma semana é super administrável, né não?

Mas eu estou estressada, cansada, arruinada fisicamente e mal humorada. Passei um fim de semana de cão transportando coisas de um cômodo para o outro enquanto era feita a pintura das paredes. E daí, sem guarda-roupas, estou com todos os meus amados trapinhos amontoados em cadeiras, caixas organizadoras e gavetas empilhadas. E mesmo com todo cuidado do mundo, tive roupas manchadas de tinta. Até os gatos estão incomodados. Toda noite eu chego e Bozó me olha com aquela cara de “socorro, mãe”.

Agora estou no dilema das cortinas. Cortina é troço caro à beça e eu sou mão de vaca. Duas situações que simplesmente não casam. Sou mão de vaca porque tenho gatos marotos que afiam as unhas onde não devem. Jogita pensa que é a gata das arábias e ADORA brincar de esconder na cortina de voil da sala, fica parecendo que está usando aqueles véus, sabe? Resultado dessa farra: fios puxados aos montes. Daí que, na boua, não vou pagar trocentos dinheirinhos suados para uma coisa que logo vai ficar destruída.

Ontem fui numa loja de tecidos para cortinas que fica perto do meu trabalho. Gente, enlouqueci naquele lugar! Já me imaginei mergulhando no balaio dos tecidos, enrolada em todos eles como uma louca. Pena que, fiquei uns bons 15 minutos lá espiando tudo e  ninguém (ninguém mesmo, zero) falou comigo.  Ninguém sequer olho pra mim e disse “a gente já atende você, tá”. Como tenho pouca tolerância, apesar de estar maravilhada com as opções, virei as costas e fui embora. No fim de semana vou bater perna pelo centro da cidade e procurar outras lojas de tecido para saciar meu desejo.

E assim vamos em frente… Depois do dia 15, com roupinhas devidamente instaladas no meu novo falso closet, vou correr atrás dos itens decorativos.

Seguindo em frente

Bom, minha gente, como a vida não espera a gente melhorar da cabeça e do coração, temos que ir seguindo, não é verdade? E já comecei as pequenas reformas lá em casa. Pequenas reformas porque não vai ter quebradeira ou muita dor de cabeça. Quer dizer, dor de cabeça a gente sempre tem, pois eu sou mega insegura na hora de comprar os artefatos para casa. Tenho mil e uma dúvidas, vai que o in de hoje vira o brega de amanhã! E aí? Além disso, nem sempre o que fica lindo na capa de revista vai ter o mesmo efeito na sala da minha casa…

Já fechei o projeto do guarda-roupas tipo “falso closet” e estou rezando para que fique bom. Não é por causa da qualidade do marceneiro, pois ele foi super recomendado e senti firmeza na sua pessoa. Mas é que fui euzinha quem desenhou o projeto, então estou torcendo para que fique funcional e do jeito que eu imaginei.

Ontem comprei o piso novo e fechei um ótimo negócio! Eu estava orçando com essas grandes lojas de material de construção e além de comprar o piso ainda tem cola, manta, rodapé e a mão-de-obra do colocador. E no frigir dos ovos eu ainda ia ter que arrancar o piso atual por minha conta. Ontem encontrei uma loja especializada em pisos que estava com uma promoção do metro quadrado de piso já colocado, sendo que o material era de um tipo mais moderno, não usa cola e pode ser instalado por cima do piso emborrachado que eu tenho lá em casa! Ah, e o valor final ficou mais barato! Pensa numa pessoa feliz!

Piso comprado, guarda-roupas encomendado, comecei a tirar as coisas do guarda-roupas velho, preciso desmontar o bicho e pintar as paredes. Agora estou na dúvida das cores de tinta, ai meu deus do céu…

Sala de estar

Continuando a divagar sobre as mudanças que quero fazer na minha humilde residência, agora vamos falar sobre a sala de estar/jantar (apertamento, sabe como é, tudo num lugar só). Eu nunca fui fã de estante… Daí uma hora, sem mais nem menos eu resolvi comprar uma. Vai entender… acho que eu estava sob efeito dos hormônios femininos. E é lógico que eu me arrependi e quero dar um sumiço nela. Não gosto de móveis altos e que juntem quinquilharias e quilos de pó. E eu comprei uma estante… ô vida.

Quando minha irmã se mudou para fora do país eu herdei alguns móveis dela  como um sofá-cama de madeira que eu adoro e um móvel tipo rack de madeira que ficaria ótimo na sala, mas está subutilizado no quarto do computador. O sofá-cama é ótimo, é de boa qualidade, mas é mais uma “cama” do que um “sofá” e quando as pessoas me visitam, acabam ficando desconfortáveis nele. O que eu quero fazer é comprar um sofá de verdade que não precisa ser grande, dois lugares com uma chaise já é o suficiente, pois tenho duas poltronas herdadas também. E também quero dar um sumiço na estante e trazer esse móvel estilo rack para o lugar dela. Aqui embaixo coloquei duas possibilidades de reorganizar os móveis na sala.

Primeira opção: sem sofá, com duas poltronas e a escrivaninha com o computador.

 

Segunda opção: com o sofá e as mesinhas, sem a escrivaninha.

 

Eu criei dois layouts porque não decidi ainda se deixo a escrivaninha e o computador no quarto do computador e que é o futuro quarto do meu filho ou se trago esse móvel para a sala. Então no primeiro layout eu pensei em trazê-la para a sala e não coloquei o sofá já pensando que será a última coisa que eu vou fazer e podemos nos virar com as duas poltronas por um tempo. No segundo layout eu coloquei o sofá e tirei a escrivaninha para poder visualizar melhor as duas situações.

A compra do sofá será outro drama, pois eu tenho gatos mutantes com garras de adamantium que destruíram uma das poltronas. É sério, o tecido está detonado e dá pra ver a espuma saltando pra fora. Ou eu compro um sofá de madeira com alfomadas ou compro um móvel bem baratinho já que vai acabar em pedaços. Nas minhas pesquisas eu encontrei alguns blogs de gateiros e gateiras que depois de muito penar, encontraram o caminho da rendição usando um tecido chamado “ultrasuede”. Não é fácil de achar, não. Mas já me disseram que em lojas especializadas em estofamentos dá pra encontrar. Mas também me avisaram que é um tantinho mais caro. Bom, é o preço da paz e paz não tem preço, né minha gente.

No mais eu só preciso pintar as paredes que já estão sujas e arrumar um ou outro cantinho com massa corrida. Talvez aqui na sala seja bacana usar o papel de parede sugerido pela Renata! Hoje tenho uma parede pintada de cor diferente (salmão) e peguei pavor de textura, então um papel de parede com estampa bacana pode dar um charme nesse cantinho onde fica a mesa de jantar.

No próximo post, vou falar um pouquinho sobre o quarto do pimpolho.

Reforma

Era uma vez um apartamentico que nós compramos e que resolvemos fazer dele o nosso castelo. E para que esse sonho se realizasse era preciso passar por uma grande provação: a reforma. Isso aconteceu em 2009 e eu fiquei tão maluca com a reforma que até hoje eu me lembro dela com o objetivo de nunca mais na minha vida inventar coisa parecida.

Primeiro foi difícil encontrar mão de obra boa e bonita, porque barata a gente sabe que nunca é. Gente, tem pedreiro nessa terra não! O que São Paulo tem de monte (na minha família tem bem uma meia dúzia de parentes com essas habilidades), aqui faz falta. Quando você acha uma indicação legal, o cara só pode pegar seu serviço daqui 3 meses porque tá cheio de trabalho. Daí caí no erro de fechar com dois parentes de uma colega minha de trabalho. Achei que por se tratar de uma funcionária minha, os caras não iam fazer bobagem na minha casa. Ledo engano. O que era pra levar 8 dias se transformou em 25 e eu estava quase matando o tiozinho com a marreta e  escondendo os restos do corpo dele por baixo do azulejo.

Daí que já faz dias (meses…) que eu olho em volta do meu quarto e quero modificar tudo! Quero pintar as paredes, quero mudar a cama de lugar, quero cortinas novas, quero jogar fora o guarda-roupas desbeiçado e tocar fogo. Olho para a sala e quero destruir a estante… Olho para o quarto do computador e queria que ele já fosse tomando forma de quarto de criança… Mas pra fazer isso tudo tem que ter uma boa dose de boa vontade e de dinheiro. E, sinceramente, tá faltando as duas coisas.

Estou pesquisando alternativas bacanas e baratas de mudar a cara da minha casa. E cá pra nós, o que é essa internet, né? Achei um site que ajuda você a fazer a planta baixa de qualquer cômodo considerando o tamanho real do lugar!  Pior vai ser convencer o marido a me ajudar com essa mudança toda. Quando começo a reclamar ele só sabe dizer: mas o guarda-roupa ainda tá tão bom! Humpf!!!